Total de visualizações de página

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

UM PAPO SOBRE GRAVIDEZ

A gravidez não é doença. É um estado especial que traz muitas mudanças no corpo da mulher. A gestante é muito exigida física e psiquicamente ficando muito sensível a tudo que se possa imaginar.

Nessa fase, a mulher grávida tem insegurança a respeito da própria capacidade de desempenhar o papel materno e receia não exercer tão bem tantos papéis: mulher, mãe, dona de casa, trabalhadora. Ela possui labilidade emocional: sente-se plena, mas também, por vezes, incapaz. Acha-se estranha, mas deseja que todos a achem bonita.

Certas mulheres têm muitos enjôos no início da gestação. Há aquelas que enjoam até o final dela. Depende de cada organismo. E depende muito do estado psicológico da mulher.

Todos precisam colaborar com a gestação, sendo solícitos com ela e bastante compreensivos, até por um princípio maior de garantir que a sociedade se reproduza de forma saudável.

A alteração dos hormônios pode deixar a mulher muito suscetível.

Principalmente a família deve dar todo apoio à mulher grávida. Evitar falar de assuntos estressantes, levá-la ao pré-natal, conversar para diminuir sua ansiedade, compartilhar as novidades da consultas. Desejar com a gestante a vinda do bebê.

Pode parecer bobagem, mas é um bálsamo.

A sociedade também deve colaborar. As pessoas devem, mesmo estranhas à gestante, respeitar seu direitos e auxiliá-la em caso de necessidade emergente, encaminhando-a, por exemplo, a algum hospital, caso esteja sentindo dores ou outro desconforto.

O companheiro tem papel fundamental nesse momento. Com as alterações no corpo da mulher, sua cintura alargando, seus seios crescendo, muitas se sentem feias. Ela precisa de carinho e muito elogio e incentivo. Tanto o marido quanto a mulher não devem descuidar-se do papel que exercem na vida conjugal. Além disso, devem respeitar o novo papel que cada um vem a assumir com a gravidez.

Há grávidas que enjoam até do perfume do marido, o que é bastante complicado. O casal deve se ajustar conversando com sinceridade para dar seguimento a uma gravidez tranqüila sem atrapalhar a relação.

As expectativas dos avôs às vezes podem gerar ansiedade nos pais, pois inevitavelmente, em algum momento, vão desconfiar da capacidade dos pais de cumprirem bem o papel. Os avôs devem sempre manifestar confiança nos pais e dar todo incentivo. Deve haver uma boa conversa entre avôs e pais para que ajustem suas expectativas a um nível desejado. Assim evita-se estresse durante a gravidez e o pós parto.

Uma gravidez tranquila torna a chegada do bebê melhor, o que o beneficia.

As avós, que têm experiência com recém nascidos, desempenham papel importante, especialmente no pós-parto. Nos primeiros três meses de vida do bebê (que ainda se acostuma a viver fora do útero, no qual ficou quase 40 semanas), ele chora muito, sente cólicas, come de três em três horas (intervalo bastante pequeno) tem necessidade de sugar para ser confortado; é totalmente dependente. A mãe fica exausta (e os maridos sofrem).

Uma vovó experiente pode aliviar muito o cansaço da nova mamãe, confortando o bebê, dando banho, trocando fraldas, alimentando-o (se necessário).

Incluir os demais filhos no processo da gravidez e pós-parto é fundamental para não haver sentimento de rejeição e ciúmes. Valorizar a colaboração da criança, dentro de suas possibilidades, com o cuidado do novo irmão é a receita para uma convivência harmoniosa e amorosa.

Quanto mais a gestante tiver um ambiente favorável e tranquilo, mais o nascituro terá chance de ter uma boa acolhida no seio familiar e na sociedade.

Tatiana Guedes Melo

domingo, 16 de janeiro de 2011

Ritual da boa higiene infantil.

Quem é que não gosta de uma criança limpinha e cheirosa?
Para isso, devemos cultivar desde cedo nos pequeninos bons hábitos de higiene. Eles precisam de nós para desenvolver o senso de limpeza. Depois, sozinhos, seguem em frente.
Nossos pequeninos precisam de todo cuidado. Muitas vezes, por trabalharmos fora de casa, temos de deixar nossos filhos com babás ou em creches.
Contudo, devemos ter o cuidado de não negligenciar a boa higiene das nossas crianças.
Zelar pela boa higiene delas é uma forma de dar carinho.
Você deve deixar algumas recomendações com a pessoa que estiver cuidando da criança durante o dia.
Alguns itens devem ser observados:
  • Banho
  • Dentes
  • Orelha
  • Nariz
  • Unhas (mãos e pés)
  • Cabelos
Pela manhã, quando seu filho acordar, lave seu rostinho e retire as remelas.
É preciso escovar seus dentinhos sempre depois das refeições. Se possível, passar a fita dental. Não se esqueça de escovar a língua.
Verifique se as unhas estão cortadas e limpas. Cortá-las uma vez por semana. É bom para evitar doenças e também para que não se arranhem com a própria unha.
As unhas podem ser aparadas com cortador ou tesoura. Também há aqueles que preferem lixar. O importante é escolher o melhor método para não machucar o dedo da criança.
As unhas dos meus filhos eu corto com tesoura de ponta arredondada. Sempre inclino levemente a tesoura para cima, pois se cortar demais, não dá para cortar o dedo e nem deixar no sabugo.
Em lugares frios, banho uma vez por dia. Em temperaturas quentes, pode dar dois banhos.
Os cabelos podem ser lavados todos os dias, uma vez por dia. Não deixe seu filho dormir de cabelo molhado; além de prejudicar o couro cabeludo, pode deixar seu filho resfriado. Portanto, seque bem.
Penteie os cabelos todos os dias, principalmente depois do banho.
Não deixar as orelhas ficarem “cascudas”. Lave com água e sabão com cuidado para não entrar no ouvido e gerar infecção. Depois enxugue.
Pode também pegar uma fralda úmida (não pingando) dobrar a ponta, enrolar e limpar a orelha no sentido de dentro para fora. Se estiver muito suja, é bom passar um pouco de óleo para bebê em toda a orelha (não dentro do ouvido) para amolecer a sujeira, e depois passe a fralda como explicado acima para remover o óleo com a sujeira. Depois seque.
Não é mais recomendado usar o cotonete porque isso estimula a criança a colocar objetos pontiagudos no ouvido - sendo relatado por otorrinos muitos casos de tímpanos perfurados em crianças (e até em adultos).
Veja se o nariz tem secreção seca. Se tiver, coloque um pouco de soro para amolecer. Se a secreção estiver na abertura da narina, pode tirar com a ponta da fralda umedecida dobrada e enrolada. Se estiver mais para dentro, jamais introduza qualquer coisa para limpar, pois pode empurrar ainda mais a sujeira.
Criança com nariz escorrendo é péssimo. Dá impressão de desleixo. Tem que estar sempre limpando com lencinhos descartáveis. Limpe delicadamente para não arranhar a pele a criança.
Incentive a criança a escolher a roupa para vestir, fazendo-a participar do ritual da boa higiene.
Se fizer muito calor em casa, deixe a criança só de cuequinha ou calcinha.
Depois do banho, passe perfume apropriado à idade nela. Hum... Que cabecinha cheirosa!
Todo mundo aprecia uma criança bem cuidada. E uma boa higiene, com certeza, deixa a criança mais feliz.
Por: Tatiana Guedes Melo

sábado, 15 de janeiro de 2011

Guarda-roupa bagunçado é over


Você é daquelas pessoas que quando vai sair nunca encontra aquela peça de roupa que programou vestir?

Seu guarda-roupa está abarrotado de coisas que comprou e ganhou, roupas bacanas, mas quando quer encontrá-las precisa realizar uma verdadeira maratona?

A vida é muito corrida mesmo, mas você precisa mudar esse quadro.

Guarda-roupa bagunçado é over; não está na moda.

Tome uma atitude.

Pode ser que você não tenha um closet dos sonhos, com prateleiras projetadas, contudo você pode ter um guarda-roupa organizado, onde dê para, pelo menos, minimizar a confusão.

Itens que usamos todos os dias e que são difíceis de encontrar quando misturados com outras peças devem ser colocados em gavetas ou caixas separadas. Como exemplo, temos:

·         Calcinhas
·         Sutiãs
·         Roupas de dormir
·         Biquínis e maiôs
·         Meias
·         Lenços e echarpes

Existem sacolas com título indicando o seu conteúdo para pendurar no cabide, como por exemplo: Calcinhas. Na falta de espaço, essa é uma boa opção.

Os cintos podem ser guardados enrolados em gaveta ou uma caixa ou podem ser dependurados em ganchos de porta.

Roupas que amassam com facilidade, como calças e blusas de trabalho e vestidos, ficam no cabide.

Calças jeans ficam no cabide, uma a uma, de preferência, ou em um vão separado só para calças dobradas.

Coloque os calçados embalados cada par em uma sacolinha que dê para enxergar o seu conteúdo sem precisa abrir e coloque em um espaço separado. Isso ajuda bastante para não bagunçar a “sapataria”.

Se tiver espaço suficiente, deixe-os arrumados em fila, lado a lado, como se estivesse em uma vitrine.

As bolsas você deixa em uma prateleira separada ou em ganchos de porta, se não forem muitas.

Atenção: quando for lançar mão desses ganchos, cuidado para não abarrotar a porta de coisas e poluir o visual do quarto. Essa poluição visual gera estresse em algumas pessoas na hora de dormir ou relaxar.

Cremes e perfumes ficam bem no armário do banheiro, por causa do cheiro e para evitar lambuzar as roupas.

Se, mesmo assim, as coisas não estão cabendo, é sinal de que está na hora de doar alguns itens que você já não usa há um bom tempo e que, com certeza, outras pessoas usarão mais. Se for o caso, compre uma cômoda ou um guarda-roupa maior.

Por: Tatiana Guedes Melo

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

CAMPANHA BUMBUM NO TANQUINHO

Todo mundo tem um conselho para dar àquela mãe desesperada cujo neném está cheio de assaduras. São muitos tipos de creme, dos mais oleosos aos mais sequinhos; produtos dos mais variados: talcos, óleos, lencinhos umedecidos... Tem gente que manda alterar a alimentação do bebê para comidas menos ácidas ou que gerem menos gases.

A verdade, minha gente, é que não existe nada melhor para resgatar aquela pele aveludada do neném do que lavar o bumbum no tanquinho.

Você pode estar se perguntando:
_ Como assim?

É isso mesmo, amigas e amigos, a ordem é lavar o bumbum no tanquinho – ou na pia do banheiro do bebê. É mais barato e muito mais eficaz.

As fezes, a urina e o suor (pois a fralda abafa a região do bumbum) por si mesmos já possuem substâncias que agridem qualquer tipo de pele ao ficarem em contato prolongado, principalmente quando se trata da pele dos bebês que ainda não têm a mesma resistência do tecido cutâneo de um adulto.

A água corrente e o sabonete são os melhores agentes para limpar completamente a bundinha do bebê retirando todo qualquer vestígio de substância proveniente das fezes e urina.

Atenção: quando se trata de meninos, observe que às vezes as fezes se acumulam embaixo do pênis e do saco escrotal; tratando-se de menina, a lavagem deve ser no sentido da vagina para o ânus, pois assim evita-se que as fezes penetrem a vulva provocando infecções.

Depois de lavar sob a torneira, é preciso secar bem a pele do neném.

Vale lembrar que essa secagem não pode ser esfregando a pele com a toalha, o que sensibilizaria ainda mais a região. Deve-se apalpar a pele com uma toalha fralda, de preferência, que absorve bem a água. Dê toda atenção às dobrinhas que costumam acumular água.

Aí sim, vamos investir num bom creme para prevenir assaduras e proteger a pele do bebê da vinda de mais dejetos. Nesse caso, é preciso investigar a que tipo de creme seu neném se adapta melhor. Os meus (tenho um casal) combinaram melhor com cremes mais sequinhos - como moro numa região mais quente, eles esquentam menos o bumbum.

Quando o neném já atingiu o estágio de assaduras, é preciso trocar a fralda com mais freqüência, lavando sempre a bundinha, até que a situação retorne ao normal. Se a fralda estiver só de urina, borrife apenas água para limpar a região.

Se a criança já estiver andando, deixe-a de vez em quando, sob a supervisão de um adulto sempre, de cueca ou de calcinha para refrescar o bumbum e para familiarizá-la com o peniquinho.

Uma dica bastante útil: quando o neném suja muito a fralda de fezes, ajuda passar o lenço umedecido para retirar o excesso (se preferir, passe algodão umedecido com água. Não economize nas bolas de algodão, despreze a que sujar e use uma limpa até retirar todo o excesso de dejetos). Depois lave o bumbum e seque.

Use o lencinho de forma bem suave, sem esfregar. No geral, deixe os lencinhos umedecidos para quando tiver de ir à rua com seu bebê. Eles são mais úteis para situações emergenciais (quando não se tem uma pia por perto).

Espero ter ajudado!

Participem dessa campanha em favor dos nossos pequeninos!

Lugar de lavar o bumbum é no tanquinho!

Por: Tatiana Guedes Melo
Agradecimentos à Enf. Eliene Rios Leite do consultório de aleitamento materno Calma http://www.calma.bio.br/

Marcadores

Amazon SearchBox